segunda-feira, 22 de junho de 2009

Tem coisas no relacionamento que se deve pensar com a razão .
Coisas que eu sempre levei comigo em QUALQUER relacionamento, seja de mãe e filha, seja de amizade, seja namoro....
Nunca deve se igualar aos erros que a outra pessoa comete. se não voce será apenas mais uma errante na história. Deve se manter superior e mais 'responsável pelos seu atos' digamos assim. pra sempre poder apontar o erro na pesoa pra que ela mude sem ter como que a pessoa retruque te apontando um erro também.
...E brigar ou xingar só em casos estremos... É claro que na hora da vontade de matar...Na verdade o melhor a se fazer é ser educada e mostrar que ela tá errada e que isso não vai ser legal pro relacionamento todo em si.
E não se deve mentir. porque quando VOCÊ mente , começa a pensar ''se eu minto, porque ela não mentiria também ?'' ninguém pensa isso diretamente mas isso fica no inconciente é dai que começam as desconfianças.
Tolerância. não é porque você ama uma pessoa que se deve tolerar tudo pra uma pessoa aprender com um erro ela deve sofrer consequências...Como qualquer pessoa em aprendizado. Se ela erra e você simplesmente perdoa sem fazer nada que a faça pensar no que fez antes, ela simplesmente vai esquecer o que aconteceu e cometer o erro amis vezes.
Escrito por Maitê, conselhos da mesma para mim. (=

sábado, 20 de junho de 2009

Eu não sou ninguém
eu não sei o que é ser alguém.
Eu estou sozinha e assim permanecerei, até apodrecer na escuridão entre quadro paredes.
Eu cheguei a pensar que tinha alguém, mas foi um erro.
É só isso, não quero e não preciso dizer mais nada, até um dia.
Eu me isolarei, eu procurarei o máximo de escuro para lá eu morar, eu me esconder, eu simplesmente me abrigar.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

A vida não é um placar.

O importante não é quantas pessoas telefonam pra você, nem com quem você saiu ou está saindo. Também não importa se você nunca namorou ninguém. O importante não é quem você beijou que menino ou menina gosta de você. O importante não são seus sapatos, nem seus cabelos, nem a cor da sua pele, nem onde você mora, que esporte você pratica ou o colégio q freqüenta. Na verdade, o importante não são suas notas, seu dinheiro, suas roupas ou se passou ou não para faculdade. Na vida, o importante não é ser aceito ou não pelos outros, não é ter amigos ou estar sozinho. Na vida, nada disso é importante. O importante na vida é quem você ama e quem você fere. E como você se sente em relação a você mesma. É confiança, felicidade e compaixão. É ficar do lado dos amigos e substituir o ódio por amor. O importante na vida é evitar a inveja, não querer o mal dos outros, superar a ignorância e construir a confiança. É o q você diz e o significado de suas palavras. É gostar das pessoas pelo que elas são e não pelo que têm. Acima de tudo.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Está tudo errado, o mundo virou de cabeça para baixo e ninguém me avisou.


Pare ae mesmo e olhe ao seu redor, está tudo errado as pessoas não são mais as mesmas, as pessoas nunca foram elas mesmos.

O ser humano é uma caixa repleta de coisas boas e ruins, porém não sabem usá-las de modo correto, são nojentos, pisam uns nos outros, vivem em uma competição tentando um sempre ser o melhor, são egoístas, hipócritas, tentam roubar até o próprio ar que você respira.

Ontem eu conheci pessoas, depois convivi com amigos, hoje olho ao meu redor eu vejo todos como animais, carnívoros e cheios de fome, sei que estou trancafiada em uma jaula com um monte de leões, pessoas que não tem a mínima noção do que é o amor, do que é estar bem com o próximo e respeitar as diferenças e seus problemas, hoje vejo que estou presa em uma roda cheio de inimigos e não sei onde isso vai parar.

Sei que não sou perfeita, sei que tenho meus defeitos e erro constantemente, mas enxergo meus erros como a melhor forma de rever meus conceitos e então, aprender com os mesmos e não repeti-los. Mas sou julgada, sou apedrejada a cada falha, as pessoas não sabem olhar de forma correta para seu próprio umbigo e enxergar então seus erros, sabem apenas julgar uns os outros e criar intriga, a cada passo que eu dou, tenho que ir bem devagar e ter a certeza que não é nenhuma armadilha para eu pisar e me afundar, pois eu vivo me limitando para evitar mais decepções, mas isso não adianta muito, cada vez que fujo mais disso, parece que atraio mais. As pessoas precisam aprender a se respeitar para a partir de então, poder cobrar algo, pois elas não tem o menor respeito nem com si própria, tampouco com o próximo, algo que leva a um inferno o dia a dia da sociedade.

Hoje eu sei que uma das pessoas que eu mais amo, esteve aqui antes de vim escrever este texto, me viu isolada com lágrimas escorrendo uma atrás de outra em meus olhos, e estendeu a mão para mim, não negou um abraço, mas todos querem me ver longe dela, pois sabem que ela, ainda mais no momento, é como um alicerce para mim e sabem que estarei completamente derrotada e no fim desse buraco maldito que eu sempre fujo mas quando olho já estou lá dentro novamente se perde-la, e é por isso mesmo que sou julgada, sou culpada por coisas que nem cogitei, fofocas rolam ao meu respeito, e tudo não passa de pessoas mascaradas que se passam por boas, mas que um dia, eu acredito somente no tempo, que ele vai retirar as máscaras de cada uma delas e assim mostrar a verdadeira face morta de cada um deles, um por um em seu tempo ideal.

Não peço que todos me amem que todos sejam meus amigos, e que eu nunca seja derrotada, derrotas fazem parte da vida, e com elas nós caímos e ao levantar, com forças podemos levantar melhores e com mais seguranças a se prender naquilo que te faz bem. Eu só peço o mínimo, eu só peço respeito, eu suplico por pessoas melhores no mundo, por pessoas que um dia consigam realmente enxergar com os mesmos olhos de uma criança inocente o que é o amor e o que é respeitar uns aos outros, sem tanta inveja, sem tanta ganância, sem tanta busca do mal para os outros, e eu ainda acredito que isso é realmente possível, mas enquanto isso, enquanto nenhuma palha se move, permaneço aqui, na minha solidão, o único lugar onde não tem ninguém metendo o nariz tentando me destruir, eu, minha dor e o que me resta de esperança.

domingo, 14 de junho de 2009

Um desabafo de um final de semana.


Parecia que já sabia, era algo forte que incomodava aqui dentro... “Então ta certo, nos encontramos as 06h30min da manhã na entrada principal da Rodoviária”, e ela com aquele olhar inocente e voz baixa, mostrou estar insegura, não muita certeza se saberia chegar lá. Não podia ver aquilo e simplesmente deixar assim, afinal, além de estar ‘largando’ ela, seriam dois dias sem nos vermos, algo incomum para quem se via 24 horas seguidas, de forma geral, sempre, sempre juntas. No mesmo instante reagi e disse: - Não se preocupe passo esta noite novamente dormindo em sua casa e te levo lá amanhã! Com alegria, ela concordou na mesma hora.
Estávamos em um bar, e meus pensamentos já começavam a se conturbar, sem motivos até, mas algo diria que não tava tudo certo, que não seria tudo bem, cheguei a pensar em acidente de ônibus, afinal, tudo é possível, mas logo esse pensamento ruim se dispersou, mas não me sentia aliviada, era como se estivesse um nó dentro de mim, me sufocando, não sei explicar bem com palavras.
E assim foi, não via motivos de tanto choro, mas as seis e pouca da manhã estava eu e ela no ônibus e não conseguia parar de falar que sentiria saudade dela e meus olhos se encheram de lágrimas em instantes e quase não foi possível conter as lágrimas, me achava idiota, pois parecia que ela estava partindo pra sempre, mas eu tinha a certeza que voltaria, ela nem poderia fazer isso, por mais que vontade não faltasse, dando-lhe o último beijo em seu rosto e segurando sua mão, disse o último tchau, e ela subiu no ônibus, não deu pra me conter, não deu pra esperar ela se sentar e dar um ‘tchauzinho’, a sensação foi a pior possível, nos últimos instantes, comecei a me desfazer de tudo e entregar a ela, só faltou o coração mesmo, mas isso não era possível, virei as costas e olhando para o chão com passos lentos fui me retirando.
Chegando em casa, a primeira coisa a fazer não foi nem largar as chaves na mesa, foi correr ao telefone e ligar para saber se ela estava bem, era preocupação, eram olhos inchados, foram lágrimas derramadas daquele lugar até em casa,e insistia em não entender o motivo de sentir um vazio tão grande dentro de mim ao ver ela embarcando...
Foram unhas ruídas, tremer de pernas por nervosismo, inquietação e principalmente muita preocupação, era como algo martelando, e não deu outra... Tive que me conter, passei a tarde fora, com meu amor, mas não vem ao caso aqui, ao retornar a minha casa primeira coisa que fiz novamente foi ligar para ela, isso já eram quase uma da manhã, ou talvez um pouco mais, com um ar de ódio, foi assim que interpretei a voz dela ao me atender, toda grossa disse que precisava conversar comigo, e as coisas não estavam boas...
É, tudo se acabou mal, aliás, não se acabou ainda, mas minha últimas gotas de suor só podem dizer o seguinte, o ser humano é uma raça escrota, desculpe a palavra, não vi uma melhor no momento, que sempre vai querer destruir um com a vida do outro, não sabe ser quieto na sua e cuidar apenas de si, e é por isso que o mundo não vai pra frente, mas o que é meu está guardado, e o que é nosso também, nosso sonho não vai terminar, e ainda assim que para você termine, que para você só reste ódio de mim, um dia eu tenho a certeza absoluta que poderei te provar que algo esteve errado e que independente de quem você acreditar, e mesmo que pra você eu morra, não esqueça que você tem registrado assim como eu, uma marca sua em seu pulso direito, e isso você não vai conseguir apagar, no máximo pode passar por cima, mas quando você ver que realmente as coisas não foram bem assim... Olhe para esta marca e lembre dessas palavras: Eu sempre estarei aqui, em um cantinho pertinho de você te esperando de braços abertos, no momento que quiser, no momento que precisar, nunca fecharei meus braços para ti, eu te amo, e pra sempre estarei aqui, não cobro que seja no seu coração, afinal se é ódio mesmo o sentimento, não tem lógica, mas não esqueça da existência dessa pessoa que se preocupa realmente contigo e que desde o primeiro dia, só quis teu bem.

“Ainda tenho o seu perfume pela casa, ainda tenho você na sala...”

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O arco-íris dedicado a ti



Não dava para acreditar, ao parar a enorme tempestade que caia lá fora, me desenrolei de meu cobertor com estampa de zebra e fui em direção a janela, abri a mesma e lá no final, bem distante avistava algo diferente, olhava para ele e me sentia bem, como se ele me fizesse um bem, e realmente fazia, me deixando em transe, com boas vibrações em minha volta e um sorriso de lado aberto.

Com sete cores diferentes, esta tal coisa coloria parte do céu que em alguns instantes atrás estava cinza, nublado, com suas nuvens super carregadas e derramando água céu a baixo.

Estava paralisada, sem me dar conta, sorria espontaneamente e meus olhos bem abertos brilhavam como os raios do sol, a tal coisa colorida me fazia sentir que acima de toda futilidade, hipocrisia e falta de caráter no mundo, ele ainda é belo e tem o mesmo sonho que um pequeno grupo de pessoas que habitam ele tem: pessoas melhores, mais humildes e felizes.

Feito das cores Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Anil e Violeta, ele era conhecido mundialmente respeitando suas línguas como ‘arco-íris’, o fenômeno que surge após a tempestade e que vem trazendo novamente o sol, clareando o dia tenebroso, com a escuridão de um céu nublado. Era mais ou menos assim, com seu jeito colorido se acomodava em alguma parte do céu e ia limpando todas essas nuvens, novamente clareando o dia e deixando o céu limpo e bem azul, com um sol radiante iluminando tudo lá fora.

Assim como o arco-íris, era eu com ela, aquela linda menina que conseguia modificar qualquer estado ruim dentro de mim em simplesmente alegria. Bastava tê-la ao meu lado com aquele sorriso lindo, ou somente um telefone para ouvir a voz doce dela me tranquilizando, que nenhum pixel apagado se restava em mim, ficava repleta de cores, como um arco-íris, e isso me fazia um bem incondicional, que somente ela sabia o jeito certo de fazer, mas assim como o arco-íris, em algum momento eu sabia que ela partiria, pois nada é para sempre, e hoje, dia nove de junho de 2009, guardo apenas a lembrança do meu amor que se foi...


“Nosso amor é como o vento, não posso vê-lo, mas posso senti-lo.”